Numa realização da Time For Fun, The Prodigy fará shows em São Paulo e no Rio de Janeiro em outubro

Publicado em 16 de outubro de 2009 por Rodrigo Santos

Shows acontecem na Via Funchal (SP), em 23/10, e no Citibank Hall/RJ, em 24/10, e contarão com abertura de grandes nomes da cena eletrônica brasileira

The Prodigy - Brasil 2009

Com realização da TIME FOR FUN, a banda inglesa The Prodigy desembarca no Brasil, desta vez com a turnê “Invaders Must Die”. As apresentações acontecem em São Paulo, em 23 de outubro, na Via Funchal, e em 24 de outubro, no Citibank Hall/RJ. A venda para o público foi iniciada em 18 de setembro.

O evento em São Paulo contará com shows de abertura de Daniel Peixoto – Montage, DJ Marky e Mixhell. Já no Rio de Janeiro, o DJ Anderson Noise também integrará a lista de atrações de abertura. Os shows serão uma oportunidade rara para os fãs de música eletrônica, que poderão prestigiar tantos nomes consagrados do estilo musical em uma única noite em cada capital.

Invaders Must Die – A banda inglesa promete um espetáculo de nostalgia futura martelando cabeças, níveis de serotonina alterados por vibrações densas e sinapses saltando devido a atitude revolucionária. A mistura agressiva de techno, punk e hip hop do The Prodigy gerou grandes hits do eletrônico pop da década de 90 como “The Fat of The Land”, “Breathe”, “Smack My Bitch Up”, “Firestarter”.

The Prodigy se apresentou no Brasil em 1998 e em 2006. Agora, em 2009, além de seus sucessos, apresentará as canções de seu novo álbum, “Invaders Must Die”. As músicas são banhadas de referências à geração das festas liberais. A música “Colours” teve seus riffs de polisintetizadores de 1992 inspirados em “No More Heroes” (The Stranglers). No álbum, há ainda as participações especiais de Dave Grohl (Foo Fighters) e James Rushent (Does It Offend You, Yeah?).

A turnê de “Invaders Must Die” já passou pela Alemanha, Suíça, França, Coréia do Sul, Japão, Austrália, Canadá, EUA, Reino Unido, Portugal, Itália. Depois de se apresentarem no Brasil, o trio inglês seguirá para o Chile e Argentina.

PRODIGY
Liam Howlett, Keith Flint e Leeroy Thornhill decidiram formar um grupo musical em 1989, tendo Flint e Thornhill como dançarinos e Howlett na composição. Não demorou muito para que o trio do condado inglês de Essex ganhasse projeção no cenário musical. O primeiro concerto ocorreu em 1990 e teve a participação especial do Mc Maxim Reality que passou a integrar a banda.

O primeiro trabalho do quarteto, “What Evil Lurks”, foi lançado em 1991 depois de assinarem contrato com a XL Recordings no ano anterior. O single “Charly” também foi lançado em 1991 e foi responsável por difundir o grupo na cena rave inglesa. As performances de Flint e Thornhill também atraiam a atenção do público.

O álbum de estreia do The Prodigy, “Experience”, foi lançado em 1992 e ocupou o Top 40 ingleses durante 25 semanas. Além disso, o trabalho alcançou o disco de ouro em poucas semanas. Liam Howlett resolve dar uma pegada mais pesada no som da banda ao ser influenciado por grupos como Nirvana, Smashing Pumpkins, Red Hot Chilli Peppers. O single “One Love” já traz um pouco dessa mudança. Entretanto, a guinada musical fica indiscutível no single seguinte, “No Good (Start The Dance)” – que ficou sete semanas no Top 10.

O segundo álbum, “Music For The Jilted Generation” (1994), entrou direto para o 1º lugar das paradas inglesas, conquistando Disco de Ouro em apenas uma semana. Em 1995, The Prodigy foi indicado para o Mercury Music Prize, renomada premiação do Reino Unido e da Irlanda, e lançaram mais dois singles com faixas do álbum: “Poison Voodoo” e “People”. No mesmo ano, o The Prodigy se apresentou pela Europa, Japão, Austrália e América.

O single “Firestarter” entra em primeiro lugar nas paradas inglesas em 1996, nas quais permaneceu por três semanas. Ainda em 1996, o single “Breathe” atinge a marca de 600 mil cópias vendidas no Reino Unido e fatura o primeiro Disco de Platina do grupo. Em todo o mundo, “Breathe” vendeu mais de 1,5 milhão de cópias e chegou a ocupar o 1° lugar em 8 países e o Top 20 em mais de 20.

Em 1997, eles lançam o terceiro álbum intitulado “The Fat Of The Land” que teve mais de 10 milhões cópias vendidas em todo o mundo, sendo mais de 100 mil no Brasil. A faixa ‘Smack My Bitch Up’ revoltou organizações feministas dos EUA e fez o disco ser retirado de prateleiras mais conservadoras. O videoclipe da faixa foi pelo mesmo caminho e classificado pela MTV americana como “o vídeo mais controverso de todos os tempos”. Leeroy Thornhill deixou a banda no ano de 2000, mas continou em contato com o grupo e até mesmo discotecando em alguns shows do The Prodigy.

Em 2001, eles lançaram uma nova versão do álbum de estréia da banda intitulado de “Experience Expanded”, que também trazia algumas faixas raras. Depois de alguns anos sem lancer material inédito, The Prodigy lançou o esperado “Always Outnumbered, Never Outgunned” em 2004. O álbum teve participação dos irmãos Gallagher (Oasis) e da atriz Juliette Lewis.

Em 2007 a banda fez shows em festivais em países como o Dubai, Portugal, Espanha e Bélgica. No mesmo ano, a banda deixou a XL Recordings e criou seu próprio selo, Ragged Flag.

Em 2009 a banda voltou como o elogiado disco “Invaders Must Die”, que conta com a formação original do grupo: Liam Howlett, Keith Flint e Maxim – contando também com as participações especiais de Dave Grohl na faixa Run With Wolves e James Rushent na canção que dá nome ao trabalho.

DISCOGRAFIA
1992 – Experience
1994 – Music for the Jilted Generation
1997 – The Fat of the Land
2004 – Always Outnumbered, Never Outgunned
2009 – Invaders Must Die

ANDERSON NOISE
A carreira do DJ e produtor Anderson Noise é pioneira na música eletrônica do Brasil. Começou tocando Acid House em sua terra natal (Belo Horizonte/MG) em 1989. Seguiu produzindo seus próprios eventos a partir de 1992, abrindo espaço na capital mineira para a proliferação da cena eletrônica, ainda embrionária.

Sem medo de expandir seus horizontes, Noise promoveu o primeiro trio elétrico com música eletrônica, de que se tem notícia, em 1999. Sem saber, adquiria experiência para encarar um desafio ainda maior: tocar no trio elétrico da cantora Daniela Mercury, em pleno Carnaval de Salvador, em 2002. A estante do DJ abriga algo além de discos, prêmios: em 97 ganhou como “Destaque Underground” pela revista especializada “DJ Sound”. Nas duas vezes em que esta categoria existiu na premiação, Anderson foi o vencedor. Estão lá os troféus de melhor produtor e melhor DJ de techno pelo prêmio “Noite Ilustrada”, da colunista Érika Palomino do jornal “A Folha de São Paulo”; os Troféus Faíscas, prêmio recebido em 3 anos consecutivos, oferecido pelo jornal “O Estado de Minas”. Em 2003 foi destaque do ano pela Cool Awards, premiação que, em 2004, lhe deu o troféu de melhor DJ.

No ano de 2003, Anderson foi convidado pela DJ MAG, uma das mais respeitadas publicações mundiais dedicadas à música eletrônica, para fazer seu quarto CD “DJ World Series – Anderson Noise”. Em 2006 Noise chegou ao 79º lugar no ranking de melhor DJ da revista, e em 2008 foi reconhecido como o DJ de número 54 da publicação. Noise, não só foi receber o prêmio, como também foi um dos DJs oficias da festa.

DANIEL PEIXOTO – MONTAGE
Em janeiro de 2005, Daniel Peixoto formou sua banda, Montage – a primeira banda de electro-rock do nordeste brasileiro. O projeto migrou de Fortaleza para São Paulo no início de 2006, e lançou o primeiro álbum pelo selo Segundo Mundo, do produtor Dudu Marote. A banda participou de diversos festivais brasileiros conceituados, dividindo o palco com nomes como: Bjork, The Killers, Arctic Monkeys, Supergrass e The Cardigans.

Entre outros feitos, vale citar que foram a 1ª banda da América Latina a ter um show virtual no Second life. Venceram os prêmios “London Burning – Melhor artista de 2007” e “HellCity – Melhor Show de 2008”, ambos por juri popular. Ingressaram no cinema em filmes como “Augustas”, de Francisco Cesar Filho, e “Rânia”, de Roberta Marques. Recentemente foram elogiados por Justin Timbarlake em seu site pessoal.

MARKY
Marky é considerado um dos maiores DJs do planeta. Cidadão do mundo, mantém residência em São Paulo, capital brasileira da música eletrônica e em Londres, berço da música eletrônica no planeta.

Marky começou a escrever sua história na década de 80 e no início dos anos 90 já era um fenômeno na arte de mixar e entreter, sendo pioneiro em terras brasileiras com os sons do Reino Unido: o Jungle e Drum & Bass.

Na segunda metade dos anos 90, Marky já tinha seu próprio programa de rádio. Na mesma década, lançou e assinou a primeira compilação de Drum & Bass/Jungle com a Suburban Base Records (UK). Foi premiado como DJ do ano no Brasil em 95, 96 e 99. Ainda em 99 foi eleito pela Folha de São Paulo o melhor DJ do país pela colunista Erika Palomino.

Seu disco, “Brazilian Job”, foi um dos discos de Drum & Bass mais vendidos e bem sucedidos na época de seu lançamento. A revista britânica MIXMAG o elegeu 11° melhor disco mixado da história em 2007. A versão da música Carolina Carol Bela, de Jorge Bem Jor, intitulada LK, ficou em 15º lugar no Top Chart Britânico. Os únicos brasileiros que chegaram perto desse feito foram Tom Jobim e a banda Sepultura. Marky conseguiu um posto inédito e jamais alcançado até então por um artista brasileiro na parada Inglesa.

Atualmente DJ Marky tem no mercado seu mais novo disco: DJ marky & Friends Presents: The Masterplan, lançado na Europa no dia 22 de outubro de 2008 nos formatos CD e arquivo digital para compras online.

MIXHELL
Iggor traz agora, junto à Laima Leyton, o projeto Mixhell. No trabalho, os dois colocam na pista faixas que traduzem um pouco do que mais gostam de escutar e que, conseqüentemente, fazem todo mundo dançar.

Com influências sólidas do som cyber punk e do technoclash, seus sets passeiam por vertentes electro, discopunk, old school hip-hop com muito rock e eletrônicos. Munidos também de um MPC Sampler Machine, eles modificam e acrescentam elementos às faixas até que fiquem perfeitas para as pistas. Uma extensão lógica de seu trabalho, na qual têm a chance de apresentar uma constante busca de novas referencias através de um olhar especializado.

Mais informações e venda de ingressos: www.ticketmaster.com.br.

Publicidade:

Deixe seu comentário

Você precisa conectar-se para deixar um comentário.